1. Personalidade X Anseios Manipulados

    Diante de todo um processo de universalização das atividades, conhecimentos e técnicas, não podemos perder a nossa essência. Única, dotada de nossas maiores potencialidades e especiais fragilidades. Deixamos que as mídias manipulassem nossos desejos e cenários para vender uma imagem de ideal “supostamente” almejado pelo mundo, onde o skyline de Nova York significa pujança, os subúrbios de Los Angeles o conforto, as praias do Caribe nos feriados e os restaurantes de Paris o ápice do romance. Essas localidades foram escolhidas pela mídia para impor modelos da ansiedade humana. Porém, não são mais importantes que as cidades africanas, asiáticas ou latino-americanas. Cada região possui suas características, seus ideais de luxo, beleza e sua concepção de problemas ou pobreza de acordo com o sistema em que vivem. No Rio de Janeiro, viver numa cobertura no Leblon é o ápice do luxo, assim como um jantar às margens do Bósforo, em Istambul, pode ser realmente romântico. Em São Paulo, os Jardins são reconhecidos como a grande nobreza e o Terraço Itália como um sonho para os apaixonados. As praias do ensolarado Nordeste Brasileiro um paraíso para as férias de verão, assim como as pitorescas cidades do sudeste e do sul um passeio perfeito para as épocas mais gélidas. Santiago, Tóquio, Goiânia, Moscou, Abu Dhabi, Belém, Johanesburgo, Alexandria, Belo Horizonte, São Francisco, Nova Déli, Melbourne, Manaus, Bogotá ou Caracas. E o charme das menores? Campos do Jordão, Paraty, Ouro Preto, Porto Seguro, Gramado… As diferentes capitais: Brasília, Washington D.C., Pequim, Roma, Casablanca e Camberra. O mundo é vasto, o mundo é rico, o mundo é diverso. Sejamos autênticos. São Paulo é como o mundo, uma imensidão sem fim a ser explorada, desejada, enfrentada e amada. Vagar pela sinuoso Tremembé, talvez na charmosa Vila Matilde, Madalena, Mascote ou das Belezas. Você escolhe. Acelerar o Jet-Ski na Guarapiranga, contemplando a bela represa e a região de Interlagos. Passar pelo coração do mundo, a mais Paulista das avenidas, lar de uma das mais intensas pluralidades, multiplicidades e encantos do mundo. Onde você tira todas as máscaras e mostra quem você é de verdade sem preconceitos. Uma avenida que impõe ao mundo o respeito que uma das maiores cidades da Terra merece. Se espremer nas multidões do Centrão. Ruas São Bento, Barão de Itapetininga, 25 de Março, Direita. Curtir a melhor noite do mundo nos bares da Vila Madalena, Tatuapé, Jardins ou Santana, mas também marcar presença nas baladas da Augusta, Vila Olímpia, Pinheiros e Barra Funda. Encontrar os amigos num domingo, em Heliópolis, na Freguesia do Ó, numa casa de vista deslumbrante no Mandaqui, no São Lucas, no Itaim Paulista, em Moema, no Ipiranga, na Vila Guilherme, num charmoso sobrado da Mooca, numa mansão repleta de jardins no Butantã ou num apartamento do Real Parque com vista para a Ponte Estaiada e a pujante e envidraçada Berrini.

    Digo e repito: Sejamos autênticos. Sejamos dispostos. Vamos viver! Vamos ser livres! Vamos conhecer o novo, o desconhecido!

    Foto: Lucas Chiconi

     
  2. O Infinity Tower, um dos mais belos edifícios recém construídos do país, está localizado ao lado das avenidas Faria Lima e JK, importante centro financeiro paulistano, no Itaim Bibi, Zona Oeste. Com 112,60 metros de altura em 18 pavimentos, foi inspirado em uma embarcação e o projeto é do escritório paulistano Aflalo e Gasperini junto ao norte-americano Kohn Petersen Fox. Seus acessos são contemplados por espaços semi-públicos, integrando o edifício à cidade.

    Fotos: Lucas Chiconi

     
  3. E já ouvi a chamarem de feia… Inocentes.

    Foto: Lucas Chiconi

     
  4. Aquele império industrial…

    Foto: Lucas Chiconi

     
  5. Os diferentes skylines, característicos das mais diversas paisagens da metrópole. São Paulo é uma nação continental formada por quilômetros e quilômetros de declives, aclives, culturas, arquiteturas e tecidos urbanos. O skyline - a linha de edifícios - das suas centenas de bairros são muito diferentes uns dos outros por razões históricas e de partidos urbanísticos e arquitetônicos distintos. Alguns mais altos, outros mais baixos, talvez medianos. Robustos, alongados, nobres, famosos ou desconhecidos. Pelos princípios modernistas, o bairro de Higienópolis possui o modelo ideal de verticalização. Edifícios de alturas não muito distintas, próximos uns aos outros, alguns com comércio no térreo e maior contato com a via pública. Quanto a essa última obervação, estou completamente de acordo. Mas estamos em 2014, São Paulo é uma das maiores cidades na face da Terra e se expandiu de tal forma a proliferar bairros-cidades com personalidades muito fortes. Ao invés de reproduzir um único modelo, por que não criar ou enfatizar o potencial da identidade de cada local? Gerar ideias de produção arquitetônica para cada localidade de acordo com o que já existe ali e também com o que a cultura local já se identificou. Precisamos ter referências, claro, mas nós arquitetos e urbanistas, precisamos primeiramente é do poder de criação. Vamos pensar coisas novas ao invés de apenas cultuar aquilo que já passou. Higienópolis é um dos bairros mais charmosos e famosos da cidade e sempre será uma grande referência. Mas não é só de Higienópolis que se sustentam os mais de 6 mil edifícios da cidade e nem os outros tantos skylines bonitos e imponentes que se proliferaram de forma tão única pela mancha urbana. Sejamos críticos, mas também originais.

    Nas fotos, edifícios na Vila Mariana (Zona Sul), em Higienópolis (Zona Central) e no Jardim Anália Franco (Zona Leste).

    Fotos: Lucas Chiconi

     
  6. E a primavera prospera no Centrão.

    Foto: Lucas Chiconi

     
  7. Inaugurado o primeiro trecho da Linha 15 - Prata de monotrilho do Metrô de São Paulo, entre as estações Vila Prudente e Oratório. A primeira, integrada à Linha 2 - Verde do Metrô. Confrontando as polêmicas que o rondaram e ainda persistem em relação à sua estrutura elevada, o sistema está em fase de testes com entrada gratuita aos finais de semana (até às 15h) e tem se tornado um sucesso. Com alta tecnologia, o paisagismo das estações e do percurso aliada à uma ciclovia, amenizam a grande estrutura elevada. Do alto, a vista segue pelo horizonte da Vila Prudente, provando que a Zona Leste tem tanto potencial quanto todas as outras regiões da cidade. O skyline do nobre Jardim Avelino desponta imponente e chegando à estação Vila Prudente, nosso olhar alcança o Ipiranga. 

    Esta linha contará com 26,6 km de extensão com 18 estações e vai conectar o Ipiranga à Cidade Tiradentes, passando pela Vila Prudente, São Lucas, Sapopemba, São Mateus e Iguatemi (a parte sul da Zona Leste). Quando completo, será o monotrilho com a maior demanda de passageiros do mundo, transportando 550 mil pessoas diariamente, o que gera críticas negativas à escolha desse meio de transporte para uma das áreas mais densamente habitadas da metrópole. Na minha opinião, precisamos testar. O lado positivo do monotrilho é a agilidade das obras, além do custo inferior ao metrô tradicional (subterrâneo). Foi implantada uma tecnologia que o torna silencioso, ou seja, não emite ruídos para incomodar a rotina do seu entorno. Porém, como eu sempre digo, não podemos sair reproduzindo modelos, sendo necessário criar tipologias e tecnologias próprias de acordo com cada localidade.

    Fotos: Lucas Chiconi

     
  8. Enfim… A Linha 15 - Prata de monotrilho do Metrô de São Paulo!

    Foto: Lucas Chiconi

     
  9. Construído em 1904 pela poderosa família Matarazzo, o Hospital Umberto I (popularmente conhecido por Hospital Matarazzo) esteve fechado por vinte anos, mas agora, em 2014, foi invadido pela mostra Made By… Feito por Brasileiros. A montagem custou R$ 15 milhões de reais e foi organizada pelo grupo italiano Allard, o qual comprou o complexo e planeja transformá-lo em um hotel de luxo. A mostra reúne diversos artistas nacionais e internacionais, com um aparato de intervenções dos mais diversos estilos e objetivos expostos nos espaços do hospital. Aquele Q de história e ruínas proporciona ainda mais interesse na visita. Em estilo florentino, a arquitetura do complexo se destaca e contrasta intensamento em meio à uma das regiões mais verticalizadas da cidade, ao lado da pulsante Avenida Paulista. Localização de sucesso para o futuro empreendimento. 

    A mostra segue até o dia 12 de Outubro e depois o complexo será fechado para o início das obras do empreendimento. Portanto, já marquem na agenda!

    Alameda Rio Claro, 190 - Bela Vista, Centro.
    Entrada gratuita.

    Acesso garantido pela Estação Trianon-MASP da Linha 2 - Verde do Metrô. Saindo da estação, entre no boulevard que conecta a Paulista à Alameda Rio Claro.

    Fotos: Lucas Chiconi

     
  10. E o antigo Hospital Matarazzo foi invadido… Por arte!

    Foto: Lucas Chiconi